SPFC estreia com elenco sem título da Libertadores e diretoria tricampeã

Pela primeira vez desde 2016, o São Paulo volta a jogar a fase de grupos da Copa Libertadores. Hoje (5), em Juliaca, no Peru, a partir das 21h (horário de Brasília), o Tricolor paulista enfrenta o Binacional. Apesar da distância do torneio continental nos últimos anos, o time do Morumbi tem uma forte ligação com a competição.

Em sua galeria, o clube ostenta três títulos (1992, 1993 e 2005). Curiosamente, dois ex-jogadores que participaram destas conquistas hoje integram a delegação do Tricolor paulista. Executivo de futebol, Raí liderou a equipe nos dois primeiros triunfos. Já no título mais recente, o agora superintendente de relações institucionais, Diego Lugano, teve importante participação.

Por outro lado, o elenco do São Paulo não tem nenhum jogador que tenha levantado a taça do torneio. Daniel Alves, que é o dono do maior número de títulos no futebol mundial (40), jamais participou da Libertadores. Alexandre Pato ganhou o Mundial com o Internacional, mas não atuou no campeonato continental de 2006. Nem mesmo o técnico Fernando Diniz dirigiu um time no torneio.

“O importante é ter jogadores campeões (em outros torneios). Temos um elenco bem qualificado, estamos firmes para fazer uma grande Libertadores”, disse o zagueiro Bruno Alves.

“A minha primeira lembrança [da Libertadores] é de o Morumbi cheio, lotado, com o clima diferente. É a realização de um sonho jogar a Libertadores pelo São Paulo”, completou o defensor.

Também por causa dessa ausência nos últimos anos de Libertadores, o São Paulo deixou de dominar algumas estatísticas. Por exemplo, o clube foi superado na lista dos brasileiros que mais venceram partidas na competição — até 2018 o clube dominava o ranking e agora ocupa a quarta posição, atrás de GrêmioPalmeiras e Cruzeiro. Também viu o Grêmio igualar a marca de três títulos — antes só do Tricolor paulista e o Santos ostentavam esta marca.

Ainda assim, a relação entre são-paulinos e a Libertadores segue especial. Por isso, a equipe chama a atenção em outros países e figura na lista de favoritos. No Peru, por exemplo, a expectativa é de que o estádio Guillermo Briceño Rosamedina esteja lotado nesta noite.

“A gente sabe que dos times do Brasil, talvez, o São Paulo seja o mais identificado com a Libertadores. Naquele momento que o São Paulo ganha a primeira Libertadores, dá um salto muito grande no Brasil. A gente se lembra das primeiras conquistas, 92, 93, e quase ganhou em 94. Naquela época, o torcedor invadia o Morumbi e levava o time”, disse o técnico Fernando Diniz, que cumpre suspensão nesta noite e será substituído pelo auxiliar Márcio Araújo.

FICHA TÉCNICA:
BINACIONAL (PER) x SÃO PAULO

Data: 5 de março de 2020, quinta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Local: Estádio Guillermo Briceño Rosamedina, em Juliaca (Peru)
Competição: Copa Libertadores, fase de grupos, 1ª rodada
Árbitro: José Méndez (Paraguai)

BINACIONAL: Raúl Fernández; Pérez, Éder Fernández, Fajardo e Reyes; Tello, Matzuda, Arango e Manco; Aldair Rodríguez e Leudo. Técnico: Flabio Torres.

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinícius, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony, Pablo e Alexandre Pato. Técnico: Márcio Araújo (auxiliar).