Representantes da Polícia Civil vão cumprir determinação judicial sobre fim das paralisações na Paraíba, dizem entidades

A Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel), uma das representações do Fórum, anunciou ainda na noite da quarta-feira (19) que a paralisação dos policiais da categoria foi encerrada

Após decisão judicial que determinou ilegal a paralisação e movimento grevista das forças policiais na Paraíba, integrantes das Entidades da Polícia Civil anunciaram que devem encerrar o movimento e cumprir a decisão. A categoria reivindica melhores condições de trabalho e reajuste salarial.

A Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel), uma das representações do Fórum, afirmou ainda na noite desta quarta-feira (19) que a paralisação dos policiais da categoria foi encerrada. O anuncio foi feito por Steferson Nogueira, presidente da Entidade.

Já a Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (ASPOL) e o Sindicato dos Peritos (SINDPERITOS), por meio de nota, esclareceu que não aderiu ao movimento e que o funcionamento das delegacias e unidades periciais que dependem do trabalho dos investigadores e dos peritos, respectivamente, continuam as atividades normalmente.

Homens encapuzados esvaziam pneus de viaturas

Na noite desta quarta-feira (19), homens encapuzados, supostamente policiais civis e militares que estão participando do movimento de paralisação, adotaram medidas drásticas para prejudicar o trabalho de policiais militares engajados para realizar o serviço de policiamento ostensivo em bairros de João Pessoa, e nas imediações do desfile do Bloco Muriçocas do Miramar.

De acordo com vídeos e áudios que estão sendo compartilhados por meio de grupos de WhatsApp, alguns deles gravados supostamente pelos próprios policiais que estão em serviço, os homens encapuzados seriam os integrantes do movimento paredista das forças de segurança. Eles estariam esvaziando os pneus das viaturas designadas para o policiamento ostensivo, na Via Folia e em alguns bairros da Capital, como forma de protesto.

Movimento ilegal

O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) decretou a ilegalidade da paralisação, bem como qualquer movimento paredista realizado pelas forças policiais no Estado da Paraíba. Em decisão monocrática, o desembargador Leandro dos Santos acatou liminarmente, na tarde desta quarta-feira (19), a Ação Declaratória de Ilegalidade de Greve com Pedido de Tutela Provisória de Urgência Antecipada movida pelo Estado da Paraíba, por meio da Procuradoria-Geral do Estado da Paraíba (PGE-PB), contra Fórum das Entidades das Polícias.

Na decisão, o desembargador Leandro dos Santos ainda determinada a aplicação de multa, em caso de descumprimento, no valor diário de R$ 500,000,00 (quinhentos mil reais), para cada entidade promovida, além de uma multa pessoal, diária, no valor de R$ 300,000,00 (trezentos mil reais) para os membros da diretoria de cada entidade promovida.

LEIA MAISVÍDEO: Policiais civis bloqueiam saída de militares para patrulhamento no Muriçocas do Miramar