Jovem que teve mãos amputadas faz tutoriais de maquiagem na internet

Em janeiro de 2017, depois de uma dor de garganta seguida de febre alta e de infecções nos pulmões e nos rins, a estudante Milena Nenemann, de Rio Negro (SC), na época com 17 anos, foi diagnosticada com pneumonia causada por uma bactéria desconhecida.

Enquanto estava na UTI de um hospital em Joinville (SC), respirando com o auxílio de um pulmão artificial, Milena teve uma parada cardíaca. Levou três minutos até ser reanimada. Os médicos chegaram a dizer que ela tinha apenas 1% de chance de sobreviver.

Depois de 54 dias internada, 45 deles na UTI, a garota teve alta e pôde voltar para casa. Mas, como sequela da doença, teve as duas pernas, parte do braço direito e os dedos da mão esquerda amputados.

“Eu precisei tomar remédios muito fortes. Como tive falência de órgãos, as extremidades do meu corpo ficaram sem oxigenação, e as partes inferiores das minhas pernas e minhas mãos necrosaram. Por isso, foi necessária a amputação”, explica Milena.

Maquiagem com as duas mãos

Nada que limitasse, no entanto, as atividades da garota, que, recentemente, ganhou atenção nas redes sociais fazendo tutoriais em vídeo de uma das coisas que mais gosta: se maquiar. “Com bastante treino, eu fui conseguindo e hoje eu faço tudo sozinha: desde preparar a pele até passar o delineador e colocar cílios”, diz.

Após a recuperação, Milena teve de reaprender as atividades do dia a dia. Cinco meses depois da alta hospitalar, ela ganhou próteses e uma mão biônica, que tem movimentos nos dedos. E, com elas, mais independência. Milena reaprendeu a andar, inclusive de salto alto. Sua prótese tem um ajuste no pé que a permite usar sapatos altos.

Vaidosa e apaixonada por maquiagem desde criança, Milena reaprendeu a se maquiar sozinha e faz tutoriais mostrando e ensinando suas makes. Os vídeos, que ela mesmo edita, são compartilhados com seus quase 19 mil seguidores no Instagram.

Para isso, a jovem teve que reaprender cada traço. Com a mão biônica, Milena segura o pincel ou o batom. Até os traços mais finos, como delineados, são feitos rapidamente e com perfeição. A nova realidade fez a jovem aprender a se maquiar também com a mão esquerda.

“Eu sempre gostei muito de me maquiar e maquiar as minhas amigas. Depois da amputação, tive que reaprender a fazer maquiagem”, diz. “Apesar disso, eu tenho alguns movimentos na extremidade do meu braço esquerdo e assim eu consigo também segurar os pincéis, lápis de olho e tudo o que eu preciso para fazer uma maquiagem completa. Antes, eu fazia maquiagem apenas com a mão direita. Hoje, eu consigo fazer com as duas”, diz.

Ela conta que nunca fez cursos de maquiagem. Tudo o que aprendeu foi sozinha fazendo testes nela mesma, assistindo a vídeos na internet e seguindo dicas de produtos passadas por pessoas do ramo.

“Assim vou aprendendo, adaptando o que eu gosto e criando meu próprio estilo de maquiar”, diz.

Coloca a mão pra carregar

Apesar do sucesso das publicações, Milena conta que a maquiagem é apenas um hobby para quando sobra tempo da faculdade. A jovem, hoje com 20 anos, deixou a casa da família para morar na capital paranaense, onde cursa o terceiro ano da faculdade de nutrição.

Morando sozinha, ela também faz todos os afazeres de casa. “Eu dirijo, faço as tarefas de casa, faço tudo o que uma pessoa da minha idade faz. Minha vida é normal”, diz Milena.

Aos afazeres da vida normal de uma jovem universitária, se juntam outros, mais específicos, como cuidar da mão biônica.

“Ela carrega igual a um celular. Então, quando vou dormir, coloco ela para carregar e, no outro dia, a carga está completa”, diz. Tanto a mão biônica quanto as próteses para os pés são encaixadas e podem ser retiradas para tomar banho e dormir.

“Hoje eu vivo mais intensamente do que antes de ficar doente. Tudo o que eu passei me mostrou que a vida é algo muito frágil e que tudo pode mudar de uma hora para a outra”, diz Milena. “Por isso, tento aproveitar o máximo possível.”