Governo da PB recebe mais de 95 mil EPIs para combater propagação do coronavírus nas penitenciárias

Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), recebeu, nessa terça-feira (16), mais de 95.205 Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para combater a propagação do novo coronavírus nas unidades prisionais da Paraíba. A aquisição desses equipamentos ocorreu em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

“A chegada desses milhares de equipamentos é mais um avanço para que o sistema penitenciário da Paraíba continue combatendo a Covid-19 entre os detentos e policiais penais. A gente já vinha fazendo o trabalho de distribuição das máscaras, tanto das que são confeccionadas na penitenciária feminina Julia Maranhão e nas demais unidades femininas do Estado, como também das máscaras cirúrgicas que já haviam sido adquiridas através do Depen. Com esses novos EPIs, vamos intensificar essas entregas para que a gente possa proteger ainda mais a população carcerária, evitando o contágio com esse vírus”, destaca o secretário de Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca.

São 44.100 máscaras de tecido reutilizáveis, 42 mil luvas para procedimentos não cirúrgicos, 9.000 aventais descartáveis, 105 máscaras N-95 que serão distribuídos entres os reeducandos, policiais penais e servidores estaduais. A Seap também recebeu 11 termômetros com infravermelho para aferir a temperatura corporal da população carcerária.

Desde o início da pandemia, a Seap criou um plano de contingência à Covid-19 e, das 65 unidades prisionais ativas da Paraíba, apenas 14 apresentam reeducandos infectados com o novo coronavírus. “Aqui na Seap, temos um cronograma de distribuição dos EPIs, que são entregues tanto aos reeducandos quanto aos policiais penais. Esses novos equipamentos com certeza chegam para intensificarmos a proteção de todos. Também estamos, diariamente, realizando testes nos detentos que apresentam sintomas da Covid-19 e isso tem sido primordial para que tenhamos um menor contágio entre a população carcerária”, explica o gerente de ressocialização da Seap, João Sitônio.