Desembargador alerta Gilmar Mendes sobre ‘riscos’ de possível soltura de Coriolano

O desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), que determinou a prisão de Coriolano Coutinho no ano passado, enviou ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), um alerta sobre o risco de soltar Coriolano, apontado como chefe do suposto esquema que teria desviado R$ 134 milhões do estado. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (12) pelo ‘O Antagonista’.

No ofício para Gilmar, Ricardo Vital informou que Coriolano era responsável pela coleta de propinas e tem poder de intimidar testemunhas com dossiês ou mesmo atos de violência, “pelo domínio que exerce sobre as forças policiais”.

“Existe risco concreto de o investigado interferir nas investigações, mediante contato ou ameaças a pessoas, testemunhas e investigados, inclusive ocultando ou fazendo ocultar elementos de prova importantes à elucidação dos fatos investigados na Operação Calvário”, disse o desembargador.