Congresso e STF consideram que atos foram menores do que o esperado e não mudam conjuntura

Ministros do Supremo Tribunal Federal e membros da cúpula do Congresso avaliam que os atos realizados em defesa do governo de Jair Bolsonaro, que ocorreram neste domingo (26), não tiveram adesão suficiente para provocar mudanças na conjuntura política atual. A adesão foi encarada como menor do que o esperado e creditada à figura de Sérgio Moro, que “puxou” os manifestantes.

Integrantes do Supremo acreditam, ainda, que Bolsonaro assumiu uma postura ambígua em relação ao movimento: mesmo criticando pautas mais radicais, o presidente estimula que uma parte da população se volte contra a corte e o Congresso ao dar declarações como a de que os atos foram “um recado aos que teimam com velhas práticas”. As informações são da coluna Painel.