CONDENADA PELA JUSTIÇA: Ex-prefeita de Puxinanã tem direitos políticos suspensos e pena de três anos de reclusão

A Justiça Federal condenou a ex-prefeita de Puxinanã, Lúcia de Fátima Aires Miranda por improbidade administrativa. A ex-gestora teve a perda dos direitos políticos por oito anos. Ela é esposa de Orlando Dantas, também ex-prefeito de Puxinanã.

A ex-prefeita também sofreu outra condenação, nessa última a justiça entendeu que Lúcia desviou recursos públicos federais, no que se refere à construção de uma creche, e por ter usado empresa fantasma.

Lúcia pegou três anos de reclusão, devendo ser cumprida em regime aberto (art. 33) em estabelecimento penal a ser definido pelo juízo das execuções penais.

A decisão cabe recurso.