Bolsonaro avalia demitir ministro da Saúde: ‘tô de saco cheio’

O ocupante do Planalto teme que a não demissão de Mandetta implique em um rompimento definitivo com parte do empresariado e a parcela da opinião pública que representa.

Bolsonaro tem dito aos auxiliares mais próximos que está “de saco cheio de Mandetta”, em referência ao seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A informação é do blog do Tales Faria, do Uol. De acordo com autoridades de Saúde, o Brasil registra 4,3 mil casos de coronavírus e 139 mortes.

O ocupante do Planalto teme que a não demissão de Mandetta implique em um rompimento definitivo com parte do empresariado e a parcela da opinião pública que representa.

Segundo a coluna, Bolsonaro já escolheu um substituto para Mandetta: o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, que é médico da Marinha. Mandetta já teria dito que não pedirá demissão.

No meio do impasse nesta crise do coronavírus, Bolsonaro contraria as orientações do ministro, como o distanciamento social, o que ficou evidente neste domingo (29), quando saiu às ruas de Brasília (DF) para visitar lojas e confraternizar com a população.