Após vitória do Flamengo, Jorge Jesus diz que Carioca é pré-temporada: “Importante é dia 16”

O Flamengo venceu o Resende por 3 a 1 nesta segunda-feira, no Maracanã, pela quinta rodada da Taça Guanabara. Após a vitória, o técnico Jorge Jesus falou com a imprensa. O treinador ressaltou o fato de o Rubro-Negro ainda estar fazendo pré-temporada.

– Faz hoje a primeira semana de treinos. Nós optamos por fazer uma pré-temporada com jogos oficiais. Nem tudo é positivo, porque você trabalha com uma intensidade muito alta, e quando chega ao jogo se nota na competitividade dos jogadores. Ao fim de oito dias, jogar um futebol deste nível não é para todos.

O Mister reconheceu a qualidade defensiva da equipe do Resende e enxergou “falta de mobilidade e velocidade” no time flamenguista. Ele voltou a ressaltar, também, que a primeira competição importante para o Flamengo neste início de temporada é a Supercopa do Brasil.

– Sabendo que o adversário não tem muito nome, mas, no meu ponto de vista, é muito bem trabalhado em termos de organização defensiva. O Flamengo teve alguma falta de mobilidade, de velocidade, para impor seu jogo intenso tanto com bola quanto sem bola. Mas sabíamos nossa forma de jogar, vai cansando os adversários

– O importante para nós é dia 16, em Brasília, na final da Supercopa, estarmos a um nível muito melhor e maior, com todo o respeito que tenho por esta competição (Carioca).

Outros temas abordados na coletiva:

Sobre a partida

– Quando começamos o jogo, não sabemos o que vai acontecer. Percebemos o que estava acontecendo, fomos mexendo na equipe, pondo jogadores mais rápidos. No fim o Resende jogava com linha de cinco. Normalmente temos mais facilidade para jogar contra três zagueiros.

Os estreantes Gustavo Henrique, Michael e Pedro

– Não é um jogo particular, é um jogo oficial. Se pudesse, faria mais substituições e colocaria todos os novos jogadores. Acho que os três estiveram bem. Michael e Pedro mexeram com o jogo.

Utilizar Gabigol e Pedro juntos

– Há jogos que pode acontecer. Cada jogo tem a sua história. As estratégias para cada jogo são diferenciadas. Hoje era preciso ter mais jogadores na área. Acreditávamos que o Pedro ia ter mais poder na área.

– Com Michael, acreditávamos que teríamos mais cruzamentos. Para ter mais cruzamentos, precisávamos de mais presença de área.

Diego de titular

– Foi dar a possibilidade ao Diego, porque vem de uma lesão muito grave e teve um fim de temporada muito feliz. Foi um dos obreiros da nossa conquista na Libertadores. Eu quis o premiar para fazer este jogo oficial, como segundo volante.

Preparação para a Supercopa do Brasil e Recopa Sul-Americana

– Nossa intenção em relação a estes jogos, hoje e sábado, visa preparar a equipe para o jogo do dia 16 em Brasília. Vai ser a primeira vez que é disputada aquilo que chamamos de Supertaça. É um título e queremos conquistar objetivos. Isso faz a diferença.

– O Flamengo não pode ser grande apenas por seus torcedores. Tem que ganhar títulos dentro e fora do Brasil. É isso que quero que o Flamengo consiga fazer. Para mim não é jogo oficial. Para mim estes jogos são para preparar a equipe com jogos oficiais. Como estou preparando, estou olhando para a qualidade que a equipe possa ter jogo a jogo. O que me interessa é fazer uma rotatividade dos jogadores

Importância do Campeonato Estadual

– Isso é cultural, tenho que respeitar os estaduais. Portanto, têm que se manter, porque também têm coisas muito boas. Ajudam a formar jogadores, há uma forma de poder projetar mais equipes.

– Tenho que saber respeitar isso, mas se o Flamengo ganhar o Carioca… No Brasil, isso aumenta o meu currículo. Fora do Brasil, zero. Portanto, vou respeitar, porque é uma prova do coração do povo brasileiro.

Cobranças após vencer quase tudo em 2019

– O preço do sucesso traz cada vez mais responsabilidade. Os objetivos começam a ser mais difíceis. Mas isso não é um problema na minha opinião. É vantajoso, porque tem que se superar para fazer melhor do que fez.

– Esta equipe está sendo trabalhada para em cada competição ter o objetivo de ganhar. Este é um desafio. O adversário mais difícil do Flamengo neste ano será o Flamengo, porque terá que fazer melhor do que no ano passado.

Sistema de jogo

– Não há nenhum sistema que seja o melhor. O sistema tem muito a ver com a ideia de jogo que tenho, e daí parte para a organização ofensiva e defensiva. Já percebi que nós, Flamengo, deixamos algumas ideias que neste ano as equipes do futebol brasileiro vão ter.

Michael

– Ele joga tanto pela esquerda quanto pela direita. Hoje jogou na direita, porque todos os seus cruzamentos eram por dentro. Eu tinha Bruno Henrique e Pedro por dentro, era mais importante ele entrar pela direita.

Lázaro e jovens jogadores

– Ele e outros jogadores que fizeram o princípio desta Taça Guanabara mostraram que têm muito futuro. Portanto, têm seu tempo e espaço para entrarem na equipe profissional. Ele ainda tem muitos passos para caminhar.

– Hoje não é fácil fazer parte desta estrutura que o Flamengo está montando. É um destes jovens que vai acrescentar, como Yuri, Ramon, Vinicius. São jovens que vão cada vez evoluir mais, aprender mais a trabalhar com colegas que têm futebol superior ao deles.

Renovação

– Cheguei há uma semana, e portanto houve prioridades que são tão importantes ou mais, como o Gabigol, o Marí. Tiro o chapéu aos dirigentes como processaram a venda do Marí e a seguir tinham o jogador que eu queria (Léo Pereira). No momento certo, na altura certa, as coisas vão andar certas também.

Parada técnica

– Fui surpreendido. Achava que era feita somente nos jogos com calor. Deu para corrigir algumas situações que foram importantes. Estávamos a ter muitos jogadores atrás da linha da bola quando tínhamos a bola.

Bola coberta e descoberta

– Muitos treinadores já falam sobre isso em todo o mundo. Mas operacionalizar isso é o que faz a diferença. O Gustavo Henrique está trabalhando comigo há uma semana. Tem uns princípios ainda que não são os meus.

– Vamos, com o tempo, corrigindo, esta forma de olhar para o jogo, quando ele está na ação defensiva. Isso originou o gol do Resende, mas antes disso eu já estava alertando os dois que estavam se posicionando mal em relação ao atacante. O Gustavo vai, com certeza, entender nossa forma de defender o mais rápido possível. É um jogador muito poderoso no jogo aéreo. Agora vai entender coletivamente como a equipe defende

– No Brasil, os jogadores conhecem só dois momentos: bola e jogador. Para mim, é muito curto. Vão aprendendo outras nuances quando não temos a bola.

Pré-temporada oficial

– Quando estava na Europa, minha pré-temporada são sete semanas. Aqui é uma. Normalmente fazemos nove, 10 jogos amistosos. Se você souber se adaptar a este calendário, também é bom. Aqui você faz uma pré-temporada com jogos a sério, e você corre um risco. É preciso dar carga à equipe, e quando ela chega nestes jogos, ainda não está solta. A ideia do treino é essa. Como não tem ainda muitas capacidades, o resultado está pendente das situações.

– Sabemos que corremos esse risco, mas felizmente temos crédito. Assumimos. Treinamos hoje de manhã, uma hora e meia intensa. E jogamos agora à noite. É um risco que nós temos, e aproveitamos a competição para fazer a pré-temporada. No fundo, é positivo. Eu não preparei a equipe para este jogo. Fez parte de preparar para o dia 16. Se fosse isso, não treinaria de manhã. Meus jogadores trabalharam ontem muito forte e hoje de manhã a mesma coisa.