APÓS PERDER PÊNIS, HOMEM VIVE COM NOVA GENITÁLIA RECONSTRUÍDA NO BRAÇO

Depois de perder o pênis devido a uma grave infecção, o britânico Malcolm MacDonald, de 45 anos, vive um grande dilema: um médico conseguiu reconstruir sua genitália, mas ela está agora pendurada em seu antebraço. O inglês aguarda uma cirurgia para que o órgão seja transplantado para o local adequado.

Para Malcolm, que é divorciado e pai de dois filhos, o mundo parecia ter acabado. Na entrevista, ele afirmou: “Por dois anos após perder meu pênis eu me senti uma sombra de um homem. Minha vida realmente desmoronou porque eu não tinha autoconfiança. Eu bebia muito e não via minha família e amigos. Eu não conseguia encará-los”.

Surge uma esperança!

(Fonte: The Sun / Reprodução)

Em 2016, o britânico viu alguma esperança surgir na figura do doutor David Ralph, um especialista em reconstrução peniana da Universidade de Londres. A equipe do médico elaborou um projeto muito sofisticado: criou uma uretra sintética e até dois tubos infláveis para proporcionar ereção.

Para que MacDonald experimentasse uma aparência e uma sensação mais próxima da realidade, os médicos envolveram o pênis biônico em um tecido do braço dele. “Quando vi aquela coisa no meu braço pela primeira vez”, afirmou Malcolm, “fiquei tão, tão orgulhoso”.

No entanto, os especialistas disseram que levaria 2 anos para que pudessem transferir o pênis para o seu local de direito. A cirurgia tinha sido marcada para 2018, Malcolm ficou tão animado que até apelidou o novo “colega” de Jimmy.

O adiamento da cirurgia

Como mora em Thetford, cidadezinha que fica a 100 quilômetros de Londres, MacDonald não pôde comparecer a algumas consultas, isso determinou que a cirurgia de transplante fosse adiada para abril deste ano, o que novamente não aconteceu devido à pandemia do novo coronavírus.

Decepcionado, Malcolm voltou a se sentir muito triste, mesmo sabendo que a operação pode ocorrer até o final do ano. Ao jornal britânico, ele concluiu: “Os atrasos têm sido bem difíceis de lidar. Por uma razão ou por outra, a operação final nunca aconteceu. Às vezes tenho a impressão de que sou amaldiçoado”.

Agora, Malcolm espera ansiosamente o final do ano para que as coisas voltem aos seus devidos lugares.